BlogoTerapia

Faz séculos que não posto. E olha que assunto não faltou. Fiz aniversário, fui em evento da Ferrari, Classic Cup, Semana Cultural do Automobilismo, Fórmula Indy, e ainda teve o início da temporada de Fórmula 1……..

Acompanhem comigo a seguinte fórmula:

TWITTER + MSN = PRODUTIVIDADE ZERO

No way, tenho que colocar um limite de tempo para usar o msn. Porque quando estou online, mal consigo ver o twitter! #comofas?

E o pior que quando eu estou agitada eu não consigo postar direito, preciso me concentrar, mas ultimamente qualquer coisa me distrai. Hoje até peguei o ônibus errado. E em um caminho que eu faço sempre! Como pode? O pior que o trajeto é semelhando até um pedaço. Pois bem na outra parte que é diferente eu cochilei. Só fui ver o que estava acontecendo quando chegou ao ponto final. Ainda bem que o último ponto era em um metrô. #Fail. Deve ser a idade. E por falar nela… fazer tantos anos quanto eu fiz merece um post. Mas não agora. rs

Inté.

Daí que é meio-dia e eu não consegui dormir desde ontem. Meu horário está desregulado, mas hoje está passando dos limites. Talvez o remédio que eu não consegui comprar e estou sem tomar contribua para essa agitação. minha cabeça não para. Sinto o que nem sei o que é, nem se devia sentir. Tudo está estranho.

Cansada de tentar dormi, me rendi à insônia. Tento fazer alguma coisa útil. Nem liguei a internet ainda. Descobri que msn e Twitter são coisas que me enriquecem muito como pessoa, mas me tiram o foco como eu nunca vi. Achei estar imune ao ‘vírus’ do msn, mas quando menos imaginava, fiquei viciada novamente. Talvez as pessoas interessantes que tenham aparecido na minha vida por conta do Twitter contribuam para isso. Fato.

Na minha cabeça tenho uns 3 ou 4 posts para o Nascar Brasil, mais uns 2 para o Terra dos Mil Lagos… Só não sei se sairão da minha cabeça.

Quanto ao meu projeto de organização, consegui prosseguir um pouco, colocar meus objetivos no papel e desenvolver alguns dos projetos. Quer dizer, escrever o que tenho que fazer para realizá-los. Agora falta a parte mais prática, digamos assim. Quero pendurar o quadro na parede e depois tiro uma foto para postar.

Vamos, lá. Firme e forte. Um passo de cada vez.

Acho que passei a vida toda tentando me organizar. Sem sucesso. Já li vários livros, tentei várias técnicas… e nada. Todas ficam pela metade. O pior (ou melhor, nem sei) é que isso só acontece na vida particular. Para trabalhar eu sou super organizada, anoto tudo, faço tabelas e tudo o mais.

Meu sonho é ser realmente organizada. Amo ficar no Flickr olhando fotos de projetos de organização… Já tentei o GTD, mas me perdi no meio do caminho. O negócio de fazer uma revisão semanal do sistema (Weekly Review) nunca rolava… aí, já viu. Também tentei o Pile of Index Cards (PoIC), mas por pouco tempo. Estou lendo o “First Things First” do Stephen Covey, mas não sei se vou usar a matriz com os quadrantes, apesar da ideia de separar as coisas por prioridades ser muito interessante (você separa as coisas como sendo: 1. Urgente e importante; 2. Importante, mas não urgente; 3. Urgente, mas não importante e 4. Não urgente nem importante).

Comprei um Moleskine para ver se me animo. Mas eis que fico com dó de escrever nele. Sério. Ah, não sei explicar, é como ganhar um doce que você quer faz tempo… e então você faz de tudo para que ele acabe bem devagarzinho… rs Enfim, agora estou em um dilema. Porque seguindo o modelo do GTD, eu quero ter uma lista de projetos. Em cada projeto, os passos que eu tenho que seguir para realizá-lo (next actions). Esses passos eu vou colocando aos poucos em uma lista diária de coisas a fazer. Ih, complicou né? Depois eu explico melhor.

O dilema é o seguinte: eu não sei se coloco os projetos no meu Moleskine, ou só a lista das coisas que eu tenho que fazer…

Pensei em usar o Personal Kanban para visualizar os meus projetos e escrever as próximas ações. Você usa um quadro e divide em três partes: Projetos a serem realizados / O que você está fazendo no momento / Finalizados. Para cada projeto você faz uma fichinha ou post-it e coloca no quadro. Aqui você pode ver alguns exemplos. Usando o Kanban, o meu caderno seria apenas para anotar as próximas ações, o que eu tenho que fazer na prática, no dia-a-dia, além de ideias, lembretes, etc.

A outra alternativa é usar o Moleskine para colocar os projetos no papel e talvez usar um outro método para as ações diárias. Sou fã das coisas que o Dave Seah faz, e pensei em imprimir os formulários dele, que são o máximo. Mas eu sou meio mão de vaca pra tinta de impressora. Hahaha (Ok, no caso a tinta acabou e eu preciso comprar…). Aliás, o Seah tem umas ideias ótimas para estabelecer objetivos, planejar os projetos e acompanhar a evolução deles, o “Groundhog Day“. Ao invés de traçar seus planos na virada do ano, ele propõe que isso seja feito com calma, depois dos período de festas, mais precisamente no dia 02/02 (err, no caso, se eu quisesse seguir isso, eu já estaria atrasada!). Todo mês você revê o que foi feito, o que deu certo ou não, e quais as metas atingiu, mas em dias certos: 03/03, 04/04… e assim por diante. Gostaria de acrescentar algo do gênero no meu método de planejamento.

Claro que eu poderia também anotar as coisas a fazer em um papel qualquer, sem imprimir nada.

Só sei que nada sei. Discutir o método sem colocá-lo em prática não é tão ideal assim. Acho que decidirei no método “Minha-mãe-mandou..” e depois posto o que decidi e o progresso (ou não) do meu processo de tentativa de organização.

Obs.: Post confuso, né? Eu sei. São 4 da manhã. Me deem um desconto!

Alone

Posted on: janeiro 8, 2010

Minha mãe está passando muito mal do estômago. Nessas horas eu sinto o verdadeiro peso de ser filha única de mãe solteira. Com o agravante de não ter parentes por perto. Somos só nós duas. E o cachorro. Acho que isso afeta minha dependência afetiva porque quando conheço alguém legal sinto que tenho uma pessoa com quem contar, que não estou mais tão sozinha. Me sinto mais segura. Um tipo de “Complexo de Cinderela”, onde o príncipe vem te resgatar da sua vida miserável e te transformar em uma princesa.

Já aprendi que para ser feliz com alguém você primeiro precisa ser feliz sozinha, que nada vai preencher o vazio dentro da gente a não ser nós mesmas com a ajuda de Deus. Já coloquei tudo nas mãos dEle, mesmo que seja tão difícil de acreditar às vezes. Tento melhorar a cada momento, um dia de cada vez. Leio, escrevo, medito, oro. Mas nessas horas parece que o vazio é muito maior do que eu consigo suportar. Autocomiseração? Pode ser. Mas eu desabo. Espero que tenha alguém pra me segurar, mas continuo a cair, cair, cair… quando chego no chão, toda quebrada, vejo que não há ninguém. Só depende de mim. E dá vontade de ficar deitada no chão, chorando e perguntando “Por quê?”, desejando que uma catástrofe aconteça pra dor terminar logo, culpando a vida e xingando o mundo. E quando já nem tenho forças pra me debater e soluçar, percebo que nada mudou e nada mudará.

O vazio está ali. E por mais que eu queira escondê-lo, ou preenchê-lo com horas de internet, jogos, doces… não adianta. Ali está. Então vem o silêncio. Ensurdece. “Deus você está aí?”, questiono. Será que Ele me abandonou? Não. É que às vezes, no meio do deserto, só existe o silêncio. Respiro profundamente. Um suspiro sofrido.

E como uma criança que fez birra até cansar, vou me levantando. Não há nada ou ninguém. Só resta a mim mesma. Ele começa a iluminar o caminha logo a frente. Mas eu preciso de coragem e determinação para dar os passos seguintes. Vale a pena? Nesse momento eu não sei. Mas acho que vou continuar tentando. Aos poucos. Só por hoje.

As palavras não fluem. Só lágrimas.

Um abraço no metrô. Segundos eternos. Minha vida de ponta cabeça.

Paixão avassaladora. Casa comigo?

Beijos e madrugadas. Risadas e segredos. Histórias.

Momentos tão bons.

Já nem sabia que podia ser bem tratada.

Ganhar uma flor em um dia comum.

Ter alguém que se preocupa.

Que é sincero.

Mas deu meia-noite.

A carruagem virou abóbora.

Mal consigo respirar.

Saudade.

Muita.

Seu silêncio me ensurdece.

Sua ausência me sufoca.

Me acorda desse pesadelo?

Hoje eu ouvi que fãs nunca vivem no mundo real. E fiquei pensando a respeito. Cheguei à conclusão de que ou eu sou um ser extra-terrestre, ou talvez não seja fã de verdade. Quer dizer, isso levando em conta a primeira frase.

 

Em primeiro lugar não acho que temos a obrigação de torcer por alguém só por ele ser brasileiro. Você pode ter simpatia, acompanhar… mas acho também que temos que ter o pé no chão. Dizer que o cara é o melhor do mundo pelo fato de ser brasileiro é ser muito fora da realidade. Acho que podemos até torcer para que ele se dê bem, mas tem coisa que passa do limite da razão.

 

Tenho simpatia por alguns pilotos, principalmente depois de começar a usar o Twitter. Mas não sei, acho que algumas coisas ficaram exageradas. Ou talvez antes eu não tivesse um contato tão direto com essas coisas.

 

Fã incondicional eu fui de dois pilotos: Mika Hakkinen e Jacques Villeneuve. Para o  Mika eu comecei a torcer quando o carro dele só quebrava. Sim, na época eu era adolescente e poderia escolher um piloto apenas pela beleza. Mas eu achava que ele tinha futuro. E teve. Ganhou 2 títulos mundiais. A mesma coisa com o Villeneuve. Para dizer a verdade, eu via a Indy e não tinha muito um piloto preferido até ele ganhar as 500milhas de Indianápolis. Ele mandou muito bem. Ok, ele era muito bonito também, mas convenhamos, na época eu tinha 15 anos. Ganhou um título mundial na Indy e um na Fórmula 1. Depois fez péssimas escolhas, mas enfim, era um bom piloto.

 

Hoje, por mais que ame os dois, sei distinguir o sonho da realidade. Hakkinen já tem muita idade e o pior, está longe das pistas faz tempo. Muita coisa mudou desde que ele parou. O Jacques ainda corre, mas a Top Race da Argentina não é lá o melhor campeonato do mundo e mesmo assim ele manda muito mal lá. Nunca achei que ele voltaria para a Fórmula 1. E continuo achando que ele não voltará.

 

Pensando aqui com meus botões agora: será que também devemos torcer só por aqueles que vencem? Ok, acho que não. Mas podíamos ter o pá no chão. Sei lá. Comecei o texto pensando uma coisa e agora já não sei mas o que acho. Volto depois se chegar à alguma conclusão. rs

A Philips convidou alguns twitteiros/blogueiros para participarem da premiação da promo “Siga o capacete”, feita com o Nico Rosberg. Foi no kartódromo da Granka Viana \o/

A galera blogueirística em peso: Pezollo do JPezollo, Thiago Raposo do Café com F1, Carlos Garcia do Mundo Veloz… Conheci o Victor, do F1 Mania. Coitado, eu não conseguia chamá-lo pelo nome, apenas pelo nick do Twitter: Vdberto (nerdice mode on!). As meninas Yaginuma estavam lá também: Bia, Carol e Thays.  Sigo a Bia no twitter faz um tempo e posso dizer que apesar de ser super novinha, faz alguns dos melhores comentários sobre F1! Isso tudo entre convidados e ganhadores da promoção: o mundo é uma ervilha, isso é #fato. Também vi uma pessoa querida: a Erica, uma das pessoas mais educadas que já conheci, fico até sem graça com toda a gentileza que essa menina tem (eu com esse jeito meio… hmmm.. não exatamente uma lady rs). Ah, LKP e Marcelo, que são da época do começo do Orkut também estavam lá!

Fomos eu, Pezollo e Garcia em uma van. Gente, não parávamos de falar, o povo deve ter achado que a tínhamos algum problema, sei lá! hahaha Claro, só falamos sobre F1 e os bastidores dela. O Garcia é tão viciado no Twitter que não parava de checar os tweets e postar. Ó “nóis” aqui.

Chegamos, comemos (claaaro!)… e então o Nico chegou (ui, praticamente meu BFF – best friend forever) falou um pouco, disse que não poderia correr de kart com o pessoal por estar gripado e que espera fazer uma boa corrida no domingo.  Premiaram os ganhadores da promoção (o primeiro colocado ganhou credenciais para o paddock *inveja*). Pacientemente atendeu todos os pedidos de fotos e autógrafos.

O menino é uma graça, quase pedi a marca do mousse que ele usa para manter o topete, que não sai do lugar de jeito nenhum! E meninas, ele é bem bonito viu? Se ele for mesmo o que dizem que ele é, será uma grande perda para o nosso time. rs

Ai começou a aventura do kart! 😀 Trocamos de roupa – claro que peguei o macacão pink – o sol rachando percebi como os pilotos devem sofrer com o calor!!! No briefing recebemos alguma dicas do Nico: acelerar no meio das curvas, e se possível nem tirar o pé do acelerador para fazê-las (hmmm… ok, então! Dica anotada!).

Entramos no kart, me enrolei com o capacete, mas tudo bem. Antes de começar a qualificação fiz uma pergunta básica para o Garcia: “Ei, acelera com o pedal da direitaaa???”. Sim, sou praticamente uma piloto profissional, deu pra ver…

Eu já havia andado de kart uma vez, mas indoor e em um de potência bem menor… comecei com calma, mas a cada curva sentia que o kart ia capotar. Sério. Tentei colocar a técnica do Nico na prática, acelerar nas curvas, mas o lance do kart cantar pneu era apavorante!!! Eu tinha certeza que iria parar lá no alambrado da pista, provocando uma tregédia e sendo notícia dos jornais no dia seguinte. Tentei acelerar e freiar ao mesmo tempo… mas também não funcionou muito. Bom, aquele treino ali parecia que nunca ia ter fim… Claaaro que larguei em último!!!

A corrida começou e acho que já na primeira curva eu já estava tomando uma volta de metade da galera. Decidi tentar seguir a trilha de borracha da pista, afinal, todo o mundo ia por ali! Bom, só sei que nessa de seguir os outros, alguém errou o caminho… e eu fui junto! Mas voltei para a pista, resolvi acelerar….. e rodei! Parei atravessada no meio da pista, sem saber se ia, ficava, ria ou esperava o guincho. Um mocinho foi lá me ajudar a desencalhar. No sentido de voltar para a pista, claro.

E ninguém respeitava as bandeiras! Tinha bandeira amarela toda hora, eu ia devagar, como me ensinaram e quando via tinha uns quatro ou cinco vindo na toda e quase me atropelando… ué, não tem que diminuir a velocidade e não pode ultrapassar? O.o Fora a tal da bandeira azul, minha melhor amiga na corrida (ela serve como um aviso para os retardatário darem passagem para os outros que estão na frente). E ai? Dou passagem mas para que lado que eu vou? Freio e deixo passar? Vou para a direita? Por que raios não tem retrovisor? Se eu olhasse para o lado não conseguiria terminar a curva – muita coisa para uma pessoa só: acelera, freia, olha bandeira, se convence de que o kart não vai capotar, e ainda tinha que olhar para trás??? Oh, my God!

Não fiz muito estrago: quase bati no Garcia, tirei o Raposo da pista… acho que só. Só sei que eu ria muito com as minhas próprias barbeiragens! E quando eu estava pegando o jeito, perdendo o medo e gostando da brincadeira…… a corrida acabou. 😦

Tinha certeza que com o meu jeito “Badoer” de guiar tinha ficado em último! Mas nem isso eu consegui! hahaha Fiquei em antepenúltimo!

E quem disse que eu conseguia sair do kart? Fiquei praticamente entalada ali… sem força nos braços e mal sentindo meus dedos. Bom, tivemos direito a pódio e tudo! E não dizem que os últimos serão os primeiros??? Premiaram também os três últimos \o/ Depois coloco foto do meu prêmio!

Puxa, foi um dia que eu não vou esquecer, fazia tempo que eu não me divertia tanto…

Ah, sim! Teve um “plus a mais”… quando estávamos indo o pessoal da Brawn chegava para correr. É, até “tio Brawn” estava lá! O pessoal começou a tirar fotos com ele….. que fez uma cara de tão poucos amigos que fiquei até com medo de tirar uma foto de longe!!! O mais engraçado foi a reação da Bia, que dava pulinhos e dizia: “É o Ross Brawn, é o Ross Brawn!”. É, já tenho alguém para ser minha sucessora em loucuras da Fórmula 1 hahaha E eis que chega RRRRRRRuben Barrichello do Brasil-il-il! E eu com a mão cheia de coisa, não sabia se pedia autógrafo, se tirava foto, se ficava na minha… Bom, fui tirar a foto né? Quem tirou foi um dos meninos, que ainda não me mandou o arquivo… =/ Dois momentos cômicos: a Carol com uma jaqueta na Williams na mão e pedindo pra tirar foto com o Barrichello que vira e diz: “Você não vai me fazer assinar isso não, né???” (pra quem não sabe, o Rubinho vai para a Williams ano que vem, mas ele nega até a morte!). E claro, eu tive que dizer que a gente enche o saco dele no Twitter, e ele muito simpático respondeu que não dava para responder para todo o mundo, infelizmente. Brinquei que ele já havia me mandado dormir duas vezes (#fato, por duas vezes ele perguntou o que eu estava fazendo acordada tão cedo e me mandou ir dormir hahahaha). Não sei bem se foi engraçado, mas todo o mundo deu risada na hora. rs

Vim embora feliz da vida, e também extremamente cansada. Mas foi muito bom, um dia pra não esquecer nunca!!!

Algumas fotinhos aqui: http://tinyurl.com/yjjym37

Atualizações Twitter

agosto 2017
S T Q Q S S D
« mar    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Blog Stats

  • 6,457 hits

Páginas